top of page

Hoje é celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue



Nesta sexta-feira (14), se comemora o Dia Mundial do Doador de Sangue, data instituída pela Organização Mundial de Saúde (OMS). 


Este ano se celebra o 20º aniversário do Dia Mundial do Doador de Sangue. Desde 2015, o sexto mês do ano é dedicado à conscientização da importância da doação de sangue em todo o mundo.


Desta forma, aqui no Brasil, o Ministério da Saúde instituiu o mês de junho como o período do ano para a conscientização da importância da doação de sangue.  Este ano o tema da campanha é  “Junho Vermelho: Unidos pela Vida”. 


Todos os Hemocentros do Brasil, trabalham com a campanha Junho Vermelho, com ações e atividades em busca do incentivo para o ato.


Hoje, a Fundação Hemocentro de Brasília (FHB), fará coleta de sangue no Estacionamento 13 do Parque da Cidade, em frente à administração, das 9h às 16h. A ação faz parte da campanha Mulheres no Poder Doando Sangue e Salvando Vidas 2024, promovida pela vice-governadoria do Distrito Federal.


No dia 27 de junho, a unidade móvel da FHB estará na sede do Governo Federal, no Palácio do Planalto.


O gesto de generosidade e compaixão que salva vidas é muito presente tanto na Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), como na CABE. 


Grande exemplo disso é o Diretor Administrativo da CABE, Ney Almeida, Capitão QOPMA RR, policial militar da turma de 1982, que há 41 anos é doador de sangue.


“Em 1983, comecei a fazer doações de sangue para cumprir escala, ordens de serviço. Eu já era escalado como policial e fazia doações de acordo com a necessidade da instituição para doadores da comunidade que pediam nos quarteis, isso perdurou até o ano de 1993”.


Entretanto, Ney conta que a prática acabou ultrapassando os batalhões.


“Quando em uma dessas doações, do Hospital Hemoclínica, deu entrada um paciente, uma criança de dois anos, foi diagnosticado com uma doença, que precisava de um padrinho de sangue. E eu, entre os doadores fui escolhido, pois meu tipo sanguíneo, O positivo, se estendia em todas as suas ramificações, com o garoto”.


Ney permaneceu como doador por um período de seis anos, mas infelizmente, essa história não teve um final feliz. “Quando findou esse período, esse afilhado veio a óbito”. E ele foi liberado da doação periódica e específica.


Entretanto, com o passar dos anos, o papel de doador acabou ganhando um espaço especial na vida de Ney, tanto as doações para pessoas conhecidas como para desconhecidas. 


Hoje com 62 anos, Ney determinou que será doador por mais três anos. 


“Hoje eu faço doações de sangue, de dois em dois meses. O que dá em torno de cinco a seis doações, por ano”.



Outra doadora de sangue é a futura policial militar, Yanaiara Oliveira, que enfrenta o medo para fazer o bem ao próximo.


Ela relata que começou a ser doadora pela necessidade de uma pessoa bem próxima, porém a compaixão cresceu e Yanaiara estendeu essa ato de amor, ao próximo, mesmo que não seja “tão próximo assim”.


“ Tenho 30 anos e faço doação de sangue há 2 anos. Minha irmã passou por uma situação delicada e precisou de transfusão de sangue. Desde que consegui ajudar ela, senti que poderia ser uma ajuda além do meu círculo familiar. Eu morro de medo de agulha, mas esse medo se torna suportável quando penso no bem que isso vai causar”.


Yass, como é mais conhecida entre os amigos e as futuras irmãs de farda, é um dos reforços que o Hemocentro de Brasília tem.


“Tento doar a cada 4 meses, que normalmente é o intervalo sugerido para mulheres. Estou sempre acompanhando o estoque de sangue no site do Hemocentro e incentivando meus amigos a fazerem o mesmo”. 


Para manter os estoques em níveis seguros, a FHB necessita de uma média de 180 doações de sangue por dia, tendo em vista que a fundação é responsável por abastecer toda a rede de saúde pública do Distrito Federal, além de instituições conveniadas, como o Hospital da Criança, o Instituto de Cardiologia do DF e o Hospital das Forças Armadas.


Atualmente, o estoque da Fundação Hemocentro está crítico para o sangue O negativo e baixo para O positivo, AB negativo, A negativo e B negativo. Para AB positivo e A positivo está regular, enquanto o de B positivo está adequado.


Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 51 kg e estar saudável. Quem passou por cirurgia, exame endoscópico ou adoeceu recentemente, a recomendação é consultar o site do Hemocentro para saber se está apto a doar sangue.


A CABE parabeniza a todos os doadores de sangue pelo ato genuíno de amor e compaixão. Doar sangue é doar vida.


54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page